fbpx
Ensino à Distância (EaD) durante a pandemia do Coronavírus

Ensino à Distância (EaD) durante a pandemia do Coronavírus

O Ensino à Distância, ou EaD, se tornou uma solução necessária durante o isolamento social por causa da pandemia do Coronavírus. Portanto, foi preciso adaptação desde o Ensino Infantil até o Ensino Superior.

Antes da pandemia, os cursos EaD já se mostravam uma nova maneira de estudar no Brasil. Sendo assim, de acordo com a pesquisa CensoEad.BR 2017/2018 feita pela Associação Brasileira de Educação a Distância, cursos livres estavam se popularizando antes mesmo do decreto do isolamento social.

Primeiramente, o levantamento mostrou uma ascensão de 45% dentro do período em cursos livres não corporativos e crescimento de 58% em cursos corporativos.

  • Os cursos livres não corporativos são buscados para aperfeiçoamento e atualização dentro da área profissional, geralmente por autônomos.
  • Já os cursos livres corporativos são oferecidos pelas empresas com o objetivo de aperfeiçoamento e atualização também, geralmente para colaboradores.

De acordo com uma pesquisa do Censo da Educação Superior em 2019, o número de ingressantes no Ensino Superior em modalidade de Ensino à Distância cresceu 15,9% no período de 2018 a 2019. Ainda assim, os dados mostram que, mesmo antes da pandemia do Coronavírus, o ensino EaD já era uma tendência crescente em nosso país.

Por que as pessoas optam pelo Ensino à Distância?

Os fatores são variados, mas as pessoas optam pelo ensino de modalidade EaD principalmente por:

  • Flexibilidade de horário e comodidade para assistir às aulas;
  • Vários formatos de mídias (vídeos, áudios, material de apoio);
  • Certificação válida como as de cursos presenciais;
  • Qualidade de conteúdo;
  • Carga horária adaptável;
  • Variedade de temas e tópicos adequados às necessidades de cada um;
  • Preços mais acessíveis;
  • Não ter que se deslocar até a instituição de ensino.

Além disso, segundo dados da Organização das Nações Unidas em 2020, 9 em cada 10 estudantes do mundo estão temporariamente sem o ensino presencial como resposta à pandemia do Coronavírus.

Contudo, foram tomadas medidas pelo MEC (Ministério da Educação) juntamente com o CNE (Conselho Nacional de Educação) para essa nova realidade e, com isso, a modalidade EaD é a solução mais encontrada e encorajada.

Quais são as novas diretrizes do MEC para o ensino EaD durante a pandemia do Coronavírus?

Educação Infantil

A orientação para creches e pré-escolas é de que os professores se aproximem virtualmente das famílias, para estreitar vínculos e sugerir atividades para as crianças executarem com os pais ou responsáveis. As soluções propostas têm como base que crianças dessa faixa etária aprendem através da brincadeira.

Ensino Fundamental (primeiros anos)

É sugerido que as instituições de ensino ofereçam para as famílias roteiros práticos e estruturados para que as crianças possam fazer em forma de atividades. No entanto, não é para que os pais substituam os professores. As atividades não presenciais propostas devem delimitar o papel dos adultos da família que convivem com as crianças em casa e ajudar a organizar uma rotina de estudos diária.

Ensino Fundamental (anos finais) e Ensino Médio

Para crianças e adolescentes nessa fase é aconselhável a supervisão de adultos para a realização das atividades com o apoio de:

  • Planejamento de estudos;
  • Metas de aprendizado;
  • Horários de estudos online.

Nessa fase já existe mais autonomia por parte dos estudantes. O sugerido é que atividades pedagógicas não presenciais ocorram com mais frequência, através de por exemplo, vídeos educativos.

Ensino Técnico

O plano é ampliar a oferta de cursos de educação à distância (EaD) e criar condições para que sejam feitas as atividades pedagógicas não presenciais. Se o curso exigir estágio, ele deve ser feito de forma virtual ou não presencial.

Ensino Superior

O CNE (Conselho Nacional de Educação) sugeriu que as instituições de ensino disponibilizem atividades não presenciais.

Quais as orientações do CNE (Conselho Nacional de Educação) para o ensino EaD durante a pandemia do Coronavírus?

  • Diante da pandemia do Coronavírus, soluções de ensino à distância devem ser implementadas, mas já é necessário o planejamento de volta às aulas presencial;
  • Uma estratégia para a eficácia do ensino à distância é entender que os alunos têm perfil socioeconômico diferentes e também diversidade na forma de acesso ao ensino EaD. É fundamental o conhecimento prévio dos recursos tecnológicos dos estudantes para que todos tenham igualdade no acesso ao estudo remoto;
  • Ensino à distância não é necessariamente aulas online.  Há diferentes maneiras de estimular a aprendizagem, como vimos nas recomendações do MEC. Se bem planejadas e executadas, as atividades podem cumprir mais do que a função puramente acadêmica.
  • A atuação dos professores é essencial, independente das soluções oferecidas na modalidade EaD.

Quais são os desafios para a modalidade EaD no Brasil?


Infelizmente, nem todos os alunos conseguem acompanhar o ensino EaD com a mesma eficácia que outros.

Um exemplo é um dado da Organização das Nações Unidas para Educação Ciência e Cultura (Unesco) em 2019: 4,8 milhões de crianças e adolescentes no Brasil não têm internet em casa.

A pesquisa mostrou que alguns desses alunos acessam a internet em outros locais, como escolas ou outros espaços. Porém, isso foi antes do isolamento social começar.

Atualmente é essencial que as crianças e adolescentes tenham acesso a computador e internet em suas casas para acesso ao ensino remoto.

Todavia, os maiores fatores para isso são as desigualdades regionais e de renda. As regiões Norte e Nordeste são as que mais sofrem com a falta de conexão com a internet. Mesmo aqueles que têm acesso à internet não têm a mesma qualidade de conexão quanto os centros urbanos.

Sobretudo, a HughesNet é uma das maiores fornecedoras de internet banda larga via satélite do mundo. Por isso, ela oferece serviços de internet via satélite com custo acessível a locais como o Norte e o Nordeste do Brasil.

Através dos dados mostrados aqui, é possível compreender que a conectividade é a solução para o ensino EaD durante a pandemia e também para depois dela, já que os números de estudantes EaD só aumentavam mesmo antes do Coronavírus.

Sendo assim, uma boa conexão é fundamental para a igualdade de eficácia do Ensino EaD, desde a Educação Infantil até o Ensino Superior.

Portanto, a pandemia trouxe um novo panorama de ensino EaD no Brasil, que vai ter consequências mesmo após acabar. Por isso, conexão de qualidade com a internet é essencial.

Entre em contato conosco para adquirir internet via satélite onde a internet via cabo não chega.

Precisa de ajuda? Converse conosco